10/06/2014

Entardecer

Fotografia: photodom.com

Rasgo pensamentos enquanto te espero. O sol, a brisa fresca deste final de tarde e a ondulação calma das águas do lago são um bálsamo para a minha alma que ainda há pouco sangrava. E o meu espírito em sintonia com a natureza, leve, fresco e antecipando uma nova luz, já pressente o teu caminhar. Essa presença amena que sempre me adoça o ser. E o estar. Lá vens tu, em passadas certas aproximas-te com o olhar preso no meu. Ao contrário de mim, tu trazes fogo no olhar. Os teus lábios queimam quando num beijo sôfrego se apoderam dos meus. E de repente, soltam-se labaredas no ar. Um fogo fátuo que nos consome os corpos ansiosos por se terem. Que as almas, essas têm-se em tempo integral. Perco-me em ti, nas tuas mãos que deliciosamente se multiplicam na minha pele. Fazes-te céu, noite, estrelas e luar. O teu corpo é o mundo todo em mim. Vales e montanhas que eu percorro na redescoberta de cada ai. Ouve-se uma sonata de Beethoven, ou de outra qualquer divindade, e nós cavalgamos no dorso de cavalo alado até ao olimpo onde os deuses estão em festa…   


1 comentário:

António Jesus Batalha disse...

É bom encontrar blogs como o seu, onde podemos aprender alguma coisa, dou-lhe os parabéns desejo muitas felicidades, que Deus vos abençõe.
PS. Se desejar visite o Peregrino e servo, e se ainda não segue pode fazê-lo agora. Decerto vou retribuir seguido o seu blog também.
António Batalha.