10/06/2009

Ser... apenas ser!




No meu peito

A vontade de residir

No teu desejo

De sobrevoar o meu corpo

Em ânsias de azul

Ser teu dia e tua noite

Ser, apenas ser

À espera que tu,

Num momento fugaz,

Atravesses o portal

E me sussurres

Que o ontem se entrelaça

Com o amanhã

Em bebedeiras de vento

Ser, ter, querer

Eu, baú do tempo

Tu, tesouro do destino

Desejo-te desfalecido

Nas entranhas do beijo

… do nosso beijo …!


Nefertiti

1 comentário:

JoséManuelBarbosa disse...

Mais muito mais que ter
(nessa ausência permanece o ser)
inequívoco e de sussuro
de vento de esperança de querer
que pelo tudo e pelo todo
restaremos nós
os seres que são...